Tantas pessoas tão preocupadas com o coronavírus hoje.  Tantas pessoas tão preocupadas se vão morrer.  Tantas pessoas preocupadas com as notícias, com as declarações de autoridades. Tantas pessoas se ocupando de tantas coisas que nem sabemos se farão diferença ou não.

E isso leva a uma reflexão inevitável.  A sua vida vale a pena?

Tipo assim, se você fosse tomar banho, escorregasse no sabonete, batesse a cabeça e morresse hoje.  A sua vida teria valido a pena?

Será que você sente ao acordar que hoje é um bom dia para morrer? Não que queiramos morrer, me entenda bem, não é isso.  Mas, e se você morrer hoje;

.  você deixaria alguma pendência?

.  você deixaria mais amigos ou inimigos?

.  as pessoas ficariam tristes ou felizes com a sua morte?

.  você seria lembrado de uma forma positiva ou negativa?

.  seria lembrado como uma pessoa que construiu algo de bom?

.  seria lembrado como uma pessoa que fez e trabalhou com o que amava?

.  seria lembrado como uma pessoa que se importava com as outras?

.  seria lembrado como uma pessoa que se permitiu amar e ser amada?

.  seria lembrado como uma pessoa que deixou boas ou más lembranças?

.  e você teria levado consigo boas ou más lembranças?

.  seria lembrado como uma pessoa que foi feliz ou infeliz?

Ou seja, a maneira com que você escolheu viver, te permitiu viver uma vida que valeu a pena?

A MANEIRA QUE VOCÊ ESCOLHE VIVER, TE PERMITE VIVER UMA VIDA QUE VALHA A PENA?

Porque nós não sabemos nem quando e nem como nós vamos morrer.  Mas, a vida; a vida acontece aqui e agora.  Você a constrói a cada momento, a cada respiração que você dá.

A vida é um processo contínuo de mudança, de ações, de escolhas.  E, no entanto, a maioria de nós não acolhe a vida no dia a dia.  Porque a maioria de nós está tão preocupada com a morte, com as contas, com o vírus, que quase sempre estamos com medo e quase nunca estamos no presente.  E aí, a vida passa e quando olhamos para trás, às vezes já é muito tarde.

O presente é tudo que existe.  O presente se revela para nós a cada momento, como uma flor que se abre.  Ao vermos o botão de uma flor não temos ideia da beleza, do perfume, que a flor terá.  Então quando a flor se abre e se revela, é como mágica.

A nossa vida é mágica, a magia está presente em todo lugar, em cada momento.  No botão que se transforma em flor, na lagarta que se transforma em borboleta, na semente que vira fruto, em cada criança que nasce, mas não percebemos.  Porque não temos olhos para ver e nem coração para sentir.

Estamos tão centrados em nós mesmos, com tanto medo o tempo todo. Tão ausentes, que não vivemos e acolhemos o presente que acontece a cada instante.  Não estamos presentes, então não temos presença.  E sem presença não há consciência.

Estamos quase sempre preocupados.  “Pré-ocupados”, ou seja, estamos ocupados com coisas que ainda não aconteceram e que talvez nem aconteçam.  Ocupamos nossa mente, nossa vida com medos, ilusões, que grande parte das vezes nem se concretizam.

Vivemos fugindo, de nós mesmos, do aqui e agora. Nos preocupamos demais porquê dessa forma não precisamos olhar para nós mesmos, para a nossa vida, para a vida, para a existência que se revela para nós a cada instante.  E assim, seguimos, ignorando a magia, a beleza que se descortina para nós. Seguimos ignorando o “presente” que nos é dado a cada momento.  Seguimos ignorando a vida, a existência.

Esse é um momento importante de reflexão.

.  Quais são os seus valores?

.  O que você busca?

E o que você busca te faz lembrar da vida em você?  As coisas que têm buscado estão te ajudando nesse momento?  Você está em paz com que você é e com as suas escolhas?  Você está feliz com a sua vida?

Eu sinto que a única coisa que pode nos ajudar nesse momento, é a consciência.  De que adianta todo o resto se não temos consciência?

Consciência de quem nós somos,

Consciência do que nos faz feliz,

Consciência….

Outro dia, compartilhei um post do mestre indiano Sadhguru que dizia o seguinte:

“A consciência é o estado natural do ser.  Você somente a perde quando se identifica com os seus pensamentos, emoções, seu corpo.”  Sadhguru

A consciência é a única coisa que se movimenta e que permanece.  Ela é tudo, e nada.  Ela é o todo.  Quando estamos conscientes, não temos medo pois só sentimos amor.  Somos preenchidos de amor.  Quando acolhemos a consciência nos tornamos o todo.  Somos o todo e o todo é em nós.  Nos sentimos plenos, confiante, saudáveis.  Ela nos liberta e nos torna plenos.

O interessante é que quase ninguém busca a consciência.   As pessoas em geral buscam conhecimento, dinheiro, poder, viagens; buscam coisas.  E se não buscamos a consciência, ficamos dando voltas igual a um pião.  Nos sentimos perdidos; e percebemos, vemos e sentimos o mundo através da percepção limitada da nossa mente.  E nos sentimos desanimados.

Mas, como caminhar em direção a consciência?

Primeiro, precisamos ter coragem.

Ter coragem de ser diferente.

Ter coragem de amar.

Ter coragem para sentir e ser, ao invés de fazer e ter.

Ter coragem de ser livre.

Ter coragem de sentir-se pleno.

Ter coragem de estar e viver no momento presente.

Ter coragem de se acolher por inteiro com todas as suas limitações e qualidades.

Ter coragem de errar e de tentar de novo.

Ter coragem…

E onde começar?

Para começar precisamos escolher estar no aqui e agora.  Escolher sair da comparação e do julgamento.  Escolher estar no observador.

Ações inconscientes nos levam

Para o piloto automático

Para o medo

Para a inconsciência

Ações conscientes nos levam

Para o momento presente

Para o aqui e agora

Para o observador

Para a consciência

Não tenha medo de viver.  Viva o aqui e o agora plenamente.

Se comprometa consigo mesmo.

Se comprometa com a consciência.

Se comprometa com o amor.

Seja você mesmo.

Você é único e especial.

Você é um ser de potencial ilimitado.

Você faz parte do todo.

Você é o todo.

Você merece SER feliz, SER consciente, SER pleno, SER luz.

Tenha coragem de brilhar.

Faça a sua luz brilhar, hoje, aqui e agora.

Também não tenha medo de morrer,

Quando for o momento, morra, mas morra plenamente,

Se entregue, se libere

Morra acolhendo o todo,

Sabendo que viveu uma vida bem vivida,

Repleta de amor, de luz, de bençãos, de MAGIA

Viva e morra plenamente

Com todo o seu SER.

Você está aqui para isso.

Abrace a vida

Abrace quem você é

Você é Deus (Amor ou Consciência)

E Deus (Amor ou Consciência) é em você

Assim é e assim sempre será.

Com amor,

Flavia Brotto